Custo de mão de obra nos EUA cresce 0,4% no trimestre

Salários subiram 0,4%, enquanto os custos dos benefícios também aumentaram 0,4% em relação ao trimestre anterior

Danielle Chaves e Regina Cardeal, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 12h01

Os custos da mão de obra nos EUA cresceram 0,4% no quarto trimestre, segundo o Departamento do Trabalho. Analistas ouvidos pela Dow Jones previam aumento maior, de 0,5%.

Os salários subiram 0,4%, enquanto os custos dos benefícios também aumentaram 0,4% em relação ao trimestre anterior. Comparado com o quarto trimestre de 2009, os custos de mão de obrar subiram 2%, um dos menores ganhos anuais desde que a série histórica começou em 1982. Os custos dos benefícios continuaram a subir mais rapidamente do que os custos dos salários, crescendo 2,9% numa base anual.

O único ano em que os custos do salários subiram num ritmo menor foi em 2009, 1,4%. O desemprego elevado causado pela recessão deixou os trabalhadores com pouco poder de barganha.

Preços para gasto pessoal

O núcleo do índice de preços para gastos com consumo pessoal (PCE), o indicador preferido do Fed sobre inflação, subiu à taxa anualizada de 0,4% no quarto trimestre do ano passado, depois de crescer 0,5% no terceiro trimestre, segundo o relatório do PIB divulgado pelo Departamento do Comércio. O índice cheio de preços PCE avançou 1,8% no quarto trimestre, após aumentar 0,8% no terceiro trimestre. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAmão de obraPIBpreçosconsumo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.