Custo unitário do trabalho sobe 0,5% no 4º trimestre

De acordo com a OCDE, o crescimento dos salários desacelerou nas economias desenvolvidas no quarto trimestre de 2011

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

21 de março de 2012 | 09h24

O crescimento dos salários desacelerou nas economias desenvolvidas no quarto trimestre de 2011, mas a produtividade do trabalho ficou inalterada, afirmou a Organização para a Cooperação e  Desenvolvimento Econômico (OCDE). De acordo com a organização, a combinação resultou em uma alta dos custos unitários do trabalho, que pode ser uma fonte de pressão inflacionária.

A OCDE afirmou que entre os seus 34 países membros, o salário aumentou 0,5% no quarto trimestre do ano passado, em relação ao terceiro trimestre, enquanto a produtividade ficou estável, provocando um aumento de 0,5% do custo unitário do trabalho.

No terceiro trimestre, o salário aumentou 0,8%, enquanto a produtividade subiu 0,6%, resultando num aumento de 0,2% do custo unitário do trabalho.

Segundo a OCDE, o salário aumentou 0,6% na Alemanha, enquanto a produtividade do trabalho caiu 0,5%, resultando em uma alta do custo unitário do trabalho de 1,1%. A Espanha registrou declínio de 1,2% do custo unitário do trabalho, após uma queda de 0,4% do salário e alta de 0,8% da produtividade. Na Itália, o salário aumentou 0,2%, enquanto a produtividade caiu 0,6%, gerando uma alta de 0,8 do custo unitário do trabalho.

Nos EUA, o salário aumentou 0,8% e a produtividade subiu 0,2%, resultando em uma alta de 0,6% no custo unitário de trabalho, afirmou a OCDE. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
OCDEsalário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.