CUT: Mantega deve anunciar mudan?a no IRPF em breve

O presidente da Central ?nica dos Trabalhadores (CUT), Arthur Henrique da Silva Santos, informou hoje que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse em reuni?o com as centrais sindicais, que vai anunciar, nos pr?ximos dias, mudan?as no Imposto de Renda da Pessoa F?sica (IRPF). Segundo Arthur Henrique, Mantega disse que as medidas ainda precisam do aval do presidente Luiz In?cio Lula da Silva.Em rela??o a essas medidas, o sindicalista disse que as centrais sa?ram frustradas do encontro, que terminou esta tarde, porque esperavam uma decis?o sobre o IRPF ainda hoje. Ele disse que o ministro n?o apresentou detalhes das mudan?as que poder?o ser adotadas.O presidente da For?a Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, acredita que o governo j? tenha as medidas prontas, mas afirmou que de concreto, o que foi apresentado aos trabalhadores foi um almo?o. "Sa?mos com a cabe?a meio inchada porque n?o tivemos nenhum compromisso espec?fico do ministro", afirmou. Paulinho disse ter a impress?o de que s? falta bater o martelo com o presidente Lula para que se promova uma corre??o na tabela do Imposto de Renda. O governo, segundo Arthur Henrique, se comprometeu com o reajuste da tabela do IRPF em 4,5%, mas as centrais sindicais querem no m?nimo uma corre??o pela infla??o. As centrais tamb?m reivindicam mudan?as nas al?quotas do imposto e pedem 10% de corre??o, ou pelo menos a reposi??o da infla??o pelo ?ndice Nacional de Pre?os ao Consumidor (INPC) ao redor de 7%. Custo financeiroArthur Henrique informou ainda que o ministro disse que anunciar?, tamb?m nos pr?ximos dias, medidas para diminuir o custo financeiro. Segundo o sindicalista, as centrais manifestaram ao ministro a preocupa??o com a necessidade de redu??o dos juros. Foi a?, ent?o, segundo ele, que Mantega disse que tomaria medidas para reduzir o custo financeiro, sem, no entanto, entrar em detalhes.Paulinho afirmou que o ministro da Fazenda disse que pretende utilizar os bancos p?blicos para reduzir mais fortemente as taxas de juros cobradas dos consumidores, for?ando uma concorr?ncia maior. O presidente da CUT disse que "n?o d? para o BB for?ar a competi??o com taxas de mercado". "Isso ? um consenso entre n?s e o ministro. S? n?o ? com o BB", afirmou.EmpregoSegundo os sindicalistas, Mantega tamb?m se comprometeu a conversar com empres?rios para discutir com c?maras setoriais a contrapartida de emprego para empresas que receberem incentivos do governo, daqueles setores mais atingidos pela crise.O presidente da CUT tamb?m defendeu que o governo, em todas as medidas que impliquem investimentos de recursos p?blicos nos setores com dificuldades, vincule essa ajuda ? manuten??o dos empregos. "Se os empres?rios est?o sendo beneficiados por pol?ticas p?blicas, eles t?m de se comprometer a n?o demitir", disse. "A a??o do governo est? sendo insuficiente, elas v?o na dire??o correta, mas falta a garantia de emprego", acrescentou. O dirigente recha?ou propostas de alguns empres?rios, como a suspens?o tempor?ria de contribui??o ao FGTS. "Isso ? rid?culo. Absurdo", disse.Se o governo reduzir temporariamente a al?quota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos autom?veis, o dirigente e membro da executiva da CUT Jos? Lopez Feij?o disse que ser? preciso assinar um compromisso com todas as empresas da cadeia produtiva do setor automobilístico para garantir a manutenção do emprego e redução dos preços. JurosPaulinho cobrou uma redução na taxa básica de juros, a Selic, e disse que se o Banco Central não fizer isso hoje, em janeiro, a Força começará uma mobilização para "derrubar" o presidente da autoridade monetária, Henrique Meirelles. "Se o BC não baixar os juros, certamente demissões ocorrerão a partir de janeiro. Alguém tem que pagar por isso", argumentou.

FABIO GRANER E ADRIANA FERNANDES,

10 de dezembro de 2008 | 16h28

Tudo o que sabemos sobre:
Imposto de RendaMantegaCUT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.