CVM processa Inepar em caso de gestão de controlada

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) está apurando possível irregularidade por parte do acionista controlador Inepar Administração, Bens, Participações e Serviços (IAP) na gestão de sua empresa controlada Inepar Indústria e Construções (IIC), empresa de capital aberto. Um processo corre na autarquia e nove acusados têm até 21 de novembro para apresentar suas defesas.

SABRINA VALLE, Agencia Estado

19 de outubro de 2011 | 18h48

Entre os acusados estão o presidente da Inepar e do conselho de administração, Atilano de Oms Sobrinho; o diretor Financeiro e membro do conselho de administração, Cesar Romeu Fiedler; o diretor comercial, Jauneval de Oms; o membro do conselho de administração, Di Marco Pozzo; e o atual diretor da IAP Natal Bressan. Também são acusados a própria Inepar Administração e Participações (IAP), a Martinelli Auditores Independentes e seu representante Carlos Alberto Felisberto. Encerra a lista o executivo Mario Celso Petraglia, ex-diretor da empresa.

Alguns executivos mudaram de cargo nos últimos anos e a CVM não informa por qual função eles foram acusados. Segundo o diretor de Relações com Investidores da Inepar, Dionísio Teles, o processo não guarda relação com o caso de incorporação da Inepar Energia, que sofreu contestações recentemente por parte da CVM. De acordo com Teles, o caso em questão se relaciona a questões enfrentadas pela empresa no início da década passada. "Já o caso da Inepar Energia está ligado aos esforços para terminar o processo de reestruturação do grupo que foi iniciado há cerca de quatro anos", disse.

A Inepar Indústria e Construções foi a empresa do grupo que teve suspensa, neste mês, depois de ressalvas apresentadas pela CVM, uma assembleia em que seria deliberada a incorporação da Inepar Energia. A operação envolve esforços para redução de uma dívida somando quase R$ 620 milhões junto ao BNDES. A Inepar Energia é dona de 16,08% da Cemat, que seria vendida para abater parte do saldo devedor com o banco de fomento.

A IAP detém 61,41% da Inepar Indústria e Construções (IIC), estando os outros 38,59% nas mãos do mercado. Já a IIC detém 52,91% da Inepar Energia. A reunião em que seria deliberada a incorporação da Inepar Energia estava marcada inicialmente para 5 de outubro, mas a CVM questionou a isenção do comitê especial independente que avaliou as condições da operação, já que eles tinham ligação com os controladores. A IIC e a IE convocaram uma assembleia para definir novo comitê de avaliação, no próximo dia 24.

Tudo o que sabemos sobre:
CVMInepargestão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.