CVM suspende oferta pública do Grupo Anima Educação

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou nesta terça-feira, 29, a suspensão por até 30 dias da oferta pública de distribuição de ações ordinárias da Gaec Educação, conhecida como Grupo Anima Educação.

EULINA OLIVEIRA, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 21h05

Segundo a CVM, a decisão foi tomada em virtude de matéria publicada na edição de segunda-feira, 28, do jornal Valor Econômico, intitulada "O engenheiro Ozires Silva quer construir ''novo ITA''". A autarquia explica que a notícia divulgava declarações contundentes do presidente do Conselho de Administração da Anima, Ozires Silva, "envolvendo a emissora e seu setor de atuação, em inobservância ao art. 48, inciso IV, da Instrução CVM nº 400/03, que veda a manifestação na mídia por participantes da oferta até a publicação de seu anúncio de encerramento".

A CVM informou ainda que a suspensão poderá ser revogada, dentro do prazo estabelecido, "se a irregularidade apontada for devidamente corrigida". "Caso contrário, o registro da oferta será cancelado."

As ações da Anima Educação estrearam no pregão anterior na BM&FBovespa com alta de 3,83%. Nesta terça, recuaram 1,46%. A companhia captou até R$ 468,21 milhões com a sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Os papéis foram precificados em R$ 18,50, mais perto do piso da faixa inicialmente proposta, de R$ 16,50 a R$ 22.

Tudo o que sabemos sobre:
Grupo Anima EducaçãoCVM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.