Dados de viagem não refletem IOF maior do cartão de crédito, diz Maciel

Medida que aumentou o IOF sobre despesas internacionais no cartão de crédito para 6% entrou em vigor somente no final do mês passado

Fabio Graner e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

25 de maio de 2011 | 12h47

O chefe do departamento econômico do Banco Central, Túlio Maciel, disse há pouco que os números da conta de viagens internacionais em abril, que registrou déficit de US$ 1,404 bilhão, ainda não refletem a elevação para 6% do IOF sobre despesas internacionais no cartão de crédito, porque a medida entrou em vigor somente no final do mês passado.

Ele informou que, em maio, a conta de viagens registra, até hoje, déficit de US$ 824 milhões, mostrando arrefecimento significativo em comparação com abril. Em maio do ano passado, o déficit de viagens foi de US$ 748 milhões. Ou seja, há ainda um crescimento no déficit de viagens na comparação interanual, pelo menos com base nos dados parciais, em um ritmo menor do que vinha ocorrendo, o que seria um sintoma do efeito da medida adotada pelo governo.

Para se ter uma ideia, no primeiro quadrimestre deste ano, o saldo negativo da conta corrente cresceu 76,1% em relação a igual período de 2010.

Maciel informou também que o gasto líquido com juros da dívida em maio até hoje está em US$ 647 milhões. Ele informou que as receitas de juros geradas pelas reservas internacionais, de US$ 2,327 bilhões de janeiro a abril, contribuíram para melhorar o desempenho dessa conta no primeiro quadrimestre do ano. 

Tudo o que sabemos sobre:
Túlio MacielBanco CentralIOF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.