Dados do varejo renovam angústia com economia e NY cai

As bolsas de valores dos Estados Unidos caíram nesta quarta-feira, depois que dados ruins de vendas no varejo norte-americano ressuscitaram preocupações com a economia, causando um grande movimento de venda de ações que se acelerou no fim do pregão.

LEAH SCHNURR, REUTERS

13 de maio de 2009 | 18h38

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 2,18 por cento, para 8.284 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 3,01 por cento, para 1.664 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 2,69 por cento, para 883 pontos.

As vendas de varejistas cederam pelo segundo mês seguido em abril, interrompendo uma série de números mais positivos que o esperado que, ao sugerir que a queda da atividade econômica estava arrefecendo, produziram dois meses de rali do mercado.

As vendas de ações se espalharam para todos os setores. Os papéis de varejistas caíram encabeçadas por uma baixa de quase 5 por cento da Target, enquanto manufatureiras, construtoras e empresas de commodities também tropeçaram.

A atividade do setor varejista é um indicador seguido de perto, à medida que os gastos dos consumidores respondem aproximadamente por dois terços da economia dos Estados Unidos. Analistas haviam previsto estabilidade ou mesmo uma pequena alta nas vendas do setor, excluindo as de automóveis.

"O consumidor é um forte elemento da recuperação, e se as vendas no varejo forem ruins, isso remete à questão de se nós já estamos nos recuperando e quão sustentável essa recuperação vai ser", disse Richard Sparks, analista sênior de ações na Schaeffer's Investment Research em Cincinnati.

O pregão desta quarta-feira foi um obstáculo para o mercado depois de uma expressiva alta que fez o índice S&P 500 subir. O índice ainda tem alta de quase 31 por cento desde as mínimas em março, em meio a um período de pessimismo. Entretanto, esta foi a terceira sessão de perdas para o indicador.

O S&P 500 caiu 5 por cento desde o pico de recuperação alcançado na sexta-feira.

As ações do Wal-Mart --maior varejista do mundo e um termômetro para o setor-- tiveram baixa de 1,2 por cento, para 50,03 dólares, enquanto os papéis da Target perderam 4,8 por cento, a 40,47 dólares. O índice S&P 500 do setor varejista cedeu 3,3 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.