Decisão sobre milho transgênico no CNBS fica para fevereiro

O Conselho Nacional de Biossegurança(CNBS), o órgão do governo brasileiro formado porrepresentantes de 11 ministérios, adiou para fevereiro umadecisão sobre o plantio e comercialização de variedades demilho transgênico no país, informou a Agência Brasil nestaterça-feira. A reunião do conselho que discutiu o assunto terminou semdeliberação, e um novo encontro está previsto para o dia 12 defevereiro, de acordo com o Ministério de Ciência e Tecnologia. Até a próxima reunião, segundo a assessoria do ministério,o conselho deverá fazer uma consulta à Advocacia Geral da União(AGU) "sobre questões de competência". A assessoria não soube precisar quais foram as pendênciasem relação ao tema. O CNBS é o órgão de características políticas encarregadode referendar as decisões científicas da Comissão TécnicaNacional de Biossegurança (CTNBio). No ano passado, a CTNBio aprovou o plantio ecomercialização de três variedades de milho transgênico. Mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e oInstituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos NaturaisRenováveis (Ibama) apresentaram recursos contra a liberação deduas variedades de milho, o da Bayer e o da Monsanto, segundo aagência estatal de notícias. Os recursos estavam na pauta de discussão da reunião doCNBS, mas só serão analisados após a consulta à AGU. (Texto de Roberto Samora)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.