Defesa de Tranchesi entra com pedido de habeas-corpus

A defesa de Eliana Tranchesi j? ingressou com pedido de habeas-corpus para libertar a empres?ria, presa na manh? de hoje. A advogada Joyce Roysen pediu tamb?m ? ju?za da senten?a, Maria Isabel do Prado, a revoga??o da pris?o e solicitou que reconsiderasse e a substitu?sse por pris?o domiciliar alegando problemas de sa?de da sua cliente, dona da Daslu. O habeas-corpus ser? julgado pelo desembargador do Tribunal Regional Federal da 3? Regi?o (TRF), Luiz Stefanini. Se o pedido for rejeitado, a defesa afirma que vai recorrer ao Superior Tribunal de Justi?a (STJ) e n?o descarta a possibilidade de chegar ao Supremo Tribunal Federal (STF).Joyce disse que ainda n?o foi poss?vel ler toda a senten?a que resultou na pris?o de Eliana e de seu irm?o, Antonio Carlos Piva de Albuquerque. Segundo ela, a defesa s? teve acesso ? ?ntegra da senten?a por volta das 14 horas. Nos pedidos de habeas-corpus e reconsidera??o feitos ? Justi?a, a advogada argumenta que a senten?a ? injusta e que a pris?o, al?m de ilegal, ? desumana e coloca em risco a vida de Eliana, que se submete a tratamento quimioter?pico para curar um c?ncer. O m?dico da empres?ria, S?rgio Daniel Simon, alega que ela corre alto risco de infec??o generalizada, hipertens?o e sangramento."A pris?o ? ilegal em todos os ?ngulos jur?dicos. Temos absoluta convic??o de que se trata de uma senten?a injusta", afirmou. Na avalia??o da advogada, foi dada a pena m?xima para todos os crimes sem que houvesse sido cometido nenhum agravante. Al?m disso, a multiplica??o dos anos a que Eliana foi condenada n?o segue, segundo a advogada, nenhum crit?rio. "O grande foco ? que o STF n?o admite execu??o provis?ria. A senten?a n?o ? definitiva e o processo todo ser? reavaliado. S? depois do tr?nsito em julgado poder? haver execu??o", declarou. Segundo a advogada, o entendimento do Minist?rio P?blico Federal (MPF) de que a condena??o pelo crime de organiza??o criminosa n?o permite ao r?u recorrer em liberdade "est? superado" pela jurisprud?ncia.Para Joyce, a senten?a da ju?za ? exagerada, monocr?tica e possui uma an?lise tendenciosa do processo. "Me parece que a pena elevada teve como objetivo causar impacto", opinou. Embora ainda n?o tenha analisado toda a senten?a judicial, a defesa acredita que conseguir? revert?-la nas inst?ncias superiores. "Acreditamos na possibilidade de absolvi??o. A senten?a n?o se sustenta", declarou, ressaltando que as provas do processo n?o passaram por per?cia. Questionada sobre se a Daslu nunca sonegou impostos, a advogada respondeu que o n?o recolhimento de tributos n?o foi intencional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.