Déficit comercial de têxteis sobe 43,2% no semestre

Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção informou que pede urgência por parte do governo na implementação de medidas para fortalecer o setor

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

20 de julho de 2011 | 16h29

O setor têxtil e de confecção registrou um déficit na balança comercial, excluindo-se a fibra de algodão, de US$ 2,26 bilhão no primeiro semestre deste ano, resultado 43,2% superior ao do mesmo período do ano passado, segundo informações da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). As importações no período cresceram 31,7%, somando US$ 2,966 bilhões, enquanto as exportações subiram 4,7%, para US$ 706,3 milhões.

A Abit informou, em nota, que pede urgência por parte do governo na implementação de medidas para fortalecer o setor têxtil e de confecção, após a redução na produção interna e o déficit recorde na balança comercial registrados neste ano.

A entidade cita dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que apontam redução na produção física de 0,3% em vestuário e confecção e de 11,9% na produção têxtil entre janeiro e maio sobre o mesmo período do ano passado. Já as vendas do varejo neste período cresceram 6,8%. "Essa diferença entre produção e vendas mostra o avanço dos importados nas prateleiras", afirmou a Abit.

O saldo na geração de empregos de janeiro até maio deste ano está em 16 mil novos postos de trabalho, montante 63% menor ao observado no mesmo período de 2010, quando foram criadas 45 mil vagas, destacou a entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.