Déficit em conta corrente em fevereiro soma US$ 3,251 bi

No acumulado do ano, a conta corrente acumula déficit de US$ 7,092 bilhões

Fernando Nakagawa e Fábio Graner, da Agência Estado,

22 de março de 2010 | 10h41

A conta corrente do balanço de pagamentos registrou em fevereiro déficit de US$ 3,251 bilhões, segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central. O resultado superou as expectativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que previam déficit entre US$ 1,8 bilhão e US$ 3 bilhões.

 

O resultado do mês passado foi influenciado diretamente pelo déficit em serviços e rendas, que atingiu US$ 3,872 bilhões. Esse valor foi parcialmente compensado pelo superávit de US$ 394 milhões da balança comercial e também pelas transferências unilaterais correntes, que registraram ingresso de US$ 227 milhões.

 

No acumulado de janeiro-fevereiro de 2010, a conta corrente acumula déficit de US$ 7,092 bilhões. Esse valor é resultado de um déficit de US$ 7,824 bilhões na conta de serviços e rendas e dos superávits de US$ 228 milhões na balança comercial e US$ 504 milhões nas transferências unilaterais.

 

No acumulado de 12 meses até fevereiro, as transações correntes acumulam déficit de US$ 28,051 bilhões, o equivalente a 1,66% do PIB.

 

Investimento estrangeiro

 

O Investimento Estrangeiro Direto no Brasil somou US$ 2,849 bilhões em fevereiro, segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central. O resultado superou a mediana prevista pelos analistas consultados pelo AE Projeções, que era de US$ 2,7 bilhões. As estimativas variavam de US$ 2 bilhões a US$ 2,9 bilhões.

 

No acumulado do primeiro bimestre, o ingresso de investimentos produtivos atingiu US$ 3,639 bilhões e nos 12 meses encerrados em fevereiro, US$ 25,689 bilhões, o correspondente a 1,52% do PIB. O valor é inferior ao déficit em transações correntes do mesmo período, que somou US$ 28,051 bilhões ou 1,66% do PIB.

 

O investimento estrangeiro em ações brasileiras atingiu US$ 1,851 bilhão em fevereiro. Esse ingresso de recursos aconteceu sobretudo no Brasil com as ações negociadas no mercado interno, que atraíram US$ 1,859 bilhão. O saldo das operações com as ações negociadas no Exterior, como as ADR, foi negativo em US$ 8 milhões.

 

O BC informou também que o saldo das operações de estrangeiros com títulos brasileiros de renda fixa foi positivo em US$ 139 milhões. O comportamento entre o mercado interno e esterno, porém, foi bem distinto: ingresso líquido de US$ 1,388 bilhão em papéis negociados no País e saída de US$ 1,249 bilhão com os títulos transacionados no Exterior.

 

No acumulado do ano, o investimento estrangeiro em ações brasileiras acumula ingresso líquido de US$ 3,112 bilhões. Na renda fixa, os papéis brasileiros atraíram US$ 2,567 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.