Delta é escolhida para obra de Cumbica

Escolha foi feita em caráter emergencial, sem licitação, com preço de R$ 85,75 bilhões, 163% maior do que o divulgado inicialmente pela Infraero

Marta Salomon, de O Estado de S. Paulo,

22 de julho de 2011 | 23h00

No topo do ranking de empresas que mais receberam recursos da União nos últimos cinco anos, a Delta Construções ganhou a seleção para construir o terminal remoto de passageiros do Aeroporto de Guarulhos, no antigo terminal de cargas da Vasp. A escolha foi feita em caráter emergencial, sem licitação.

A empresa ganhou o negócio por apresentar a proposta de menor preço para a obra: R$ 85,75 milhões. Esse preço é, no entanto, é 163% maior do que o divulgado pela Infraero até o mês passado para o primeiro terminal remoto de Guarulhos.

O custo era estimado em R$ 32,5 milhões pela estatal que administra aeroportos na planilha de investimentos da Copa do Mundo de 2014.

A Infraero atribui a diferença no preço a serviços extras propostos às oito empresas que foram consultadas para tocar o negócio. Dessas oito empresas, seis apresentaram propostas, entre elas as maiores empreiteiras do País. O novo terminal remoto terá capacidade para 5,5 milhões de passageiros, acesso por sistema de vias independente e mais estacionamento para 600 veículos, informou a estatal.

O terminal remoto ficará pronto em janeiro de 2012, mas já começará a operar em dezembro deste ano. Os custos serão repassados à futura operadora privada de Guarulhos, a ser escolhida em leilão previsto para dezembro.

A Infraero informou que outros investimentos da Copa do Mundo também poderão ter o orçamento reajustado. Para o segundo terminal remoto, previsto para ser inaugurado em maio de 2012, ao custo original de R$ 23,2 milhões, a estatal anunciou que pretende fazer licitação para a escolha da empreiteira responsável pelas obras. Esse segundo terminal será construído após a reforma do antigo terminal de cargas da Transbrasil.

A licitação para a construção do terceiro terminal de passageiros só será lançada depois da privatização do Aeroporto de Guarulhos. O terminal, com custo estimado em mais de R$ 700 milhões, é o investimento mais caro do pacote de aeroportos para a Copa do Mundo de 2014.

Inidônea. A escolha da Delta Construções como responsável pelas obras do primeiro terminal remoto de Guarulhos, publicada ontem no Diário Oficial, inspirou comentários da presidente Dilma Rousseff, em conversa com jornalistas no Palácio do Planalto.

A presidente disse que a empresa será declarada "inidônea" se não terminar as obras no prazo acordado. Isso bloquearia o acesso da Delta a novos contratos com a União nos cinco anos seguintes.

A empreiteira recebeu mais de R$ 3 bilhões em contratos apenas com a administração direta, segundo registro do Portal da Transparência, mantido pela Controladoria-Geral da União. A Delta tornou-se recordista em repasses de dinheiro público em 2007 e desde então não deixou a posição no ranking dos pagamentos.

A Delta também participa da reforma das obras do Maracanã, entre outras obras no Estado do Rio de Janeiro. O governador Sérgio Cabral foi flagrado numa carona oferecida pelo empresário Eike Batista quando ia para o aniversário do dono da Delta, Fernando Cavendish, em Trancoso, na Bahia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.