Delta e Northwest formarão maior companhia aérea do mundo

A Delta Air Lines comprará aNorthwest Airlines por mais de 3 bilhões de dólares, de acordocom proposta revelada no final de segunda-feira. A operaçãocriará a maior companhia aérea do mundo em um momento em que asempresas do setor buscam combater a disparada nos custos comcombustíveis e fraqueza na economia. Depois de registrarem 35 bilhões de dólares em prejuízos ede emergirem após cinco anos de um crise sofrida em 2006, ascompanhias aéreas norte-americanas esperam que fusões levem atarifas maiores por conta de queda no número de vôos oferecidose aumento do poder de mercado das empresas. O acordo todo em ações dará aos acionistas da Northwest1,25 ação da Delta para cada ação da Northwest que possuam, umágio de 17 por cento sobre o preço de fechamento em Nova York,de 11,22 dólares. As companhias aéreas também enfrentam um renovado senso deurgência para se consolidarem e cortarem custos em meio a umaalta continuada nos preços de combustíveis, fraqueza daeconomia e crescente ameaça competitiva por parte de rivaiseuropéias. Os preços de combustível de aviação mais quedobraram desde o começo do ano. Se receber aprovação por parte de autoridades regulatórias,a nova empresa, encabeçada pelo presidente-executivo da Delta,Richard Anderson, terá sede em Atlanta e irá operar sob a marcada Delta. A companhia combinada terá cerca de 35 bilhões dedólares em receita anual e aproximadamente 75 mil funcionários. Ambas as empresas saíram de processo de recuperaçãojudicial no ano passado e a especulação da fusão veio depoisque Anderson, ex-presidente-executivo da Northwest, tomou oleme da Delta. As duas companhias afirmaram que o acordo promete gerar 1bilhão de dólares por ano em receita e benefícios de custo.Anderson aponta que as economias de custos virão de redução nasdespesas operacionais, uso mais eficaz de tecnologias, reduçãode despesas administrativas e capacidade de negociação comfornecedores. Autoridades de defesa da concorrência do Departamento deJustiça dos EUA, que ainda avalia aval ao acordo, devem sefocar na questão da concentração de mercado. A avaliação podedemorar meses, mas especialistas prevêem poucos obstáculos. Os pilotos da Delta terão 3,5 por cento de participaçãoacionária na nova companhia aérea e demonstraram apoio à fusãona segunda-feira. Mas a liderança dos pilotos da Northwestinformou que usará "todos os recursos disponíveis paraagressivamente" se opor ao acordo. Os pilotos das empresas não chegaram a um acordo sobre comovão trabalhar juntos sob um mesmo conjunto de regras quedetermina quando trabalham, o que pilotam e quanto recebem. Além dos pilotos, empregados nos Estados Unidos das duasempresas ganharão uma participação de 4 por cento na empresa. A última grande fusão do setor ocorreu em 2005, entre a USAirways e a America West Airlines, que criou o US Airways Group.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.