Demanda chinesa por aço eleva minério indiano a preço recorde

Os preços do aço na China estão emalta, apesar da redução promovida pela principal usina do país,e têm provocado uma corrida pelos carregamentos de minério deferro da Índia ao mesmo tempo em que levamos preços das matérias-primas a máximas recorde quase todos osdias. Isso pode pavimentar o caminho para outro forte avanço dospreços do minério de ferro em 2008, que serão negociados pelasusinas ao redor do mundo e por mineradoras globais como a Valedo Rio Doce no final deste ano ou no começo de 2008, disseramoperadores de minério e membros de empresas do setor. O minério de média qualidade da Índia tem sido entregue àChina a mais de 150 dólares por tonelada --alta de cerca de 70por cento em relação ao começo do ano e muito acima dos preçosdo minério brasileiro, que giram em torno de 120 dólares e 125dólares. "Sob as atuais condições do mercado, é apenas um pensamentopositivo imaginar que podemos ter preços menores em 2008 emrelação a 2007", disse a repórteres nesta quarta-feira opresidente da Câmara de Comércio da China de Minerais Metálicose Exportadores e Importadores Químicos (CCCMC na sigla eminglês), Chen Haoran. A importação de minério de ferro da China deve crescer maisde 18 por cento em 2007, para 386 milhões de toneladas, estimouZou Jian, presidente da Associação de Minas Metalúrgicas daChina. A Baosteel, maior produtora de aço da China e motor doritmo da indústria, afirmou em agosto que vai reduzir os preçosdos principais derivados de aço em 200 iuans (26,49 dólares)por tonelada no quarto trimestre em relação ao terceiro. "A Baosteel reduziu os preços mas não foi acompanhada poroutras usinas. Todo mundo está elevando os preços", disse umoperador de minério de ferro em Pequim. "O mercado ficoulouco... Agora, não podemos ver nenhum sinal de desaceleração." Com a estimativa de que a produção de aço da China fiqueentre 480 milhões e 490 milhões de toneladas, ante 418,78milhões de toneladas no ano passado, o setor precisa dos caroscarregamentos de minério de ferro da Índia. O fornecimento de Brasil e Austrália não é suficiente, emmeio às dificuldades nos dois países para lidar com oscongestionamentos nos portos. (Reportagem adicional de Alfred Cang, em Xangai)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.