Democratas apresentam projeto de US$ 60 bilhões para transporte

Proposta foi anunciada após projeto democrata de US$ 35 bilhões para empregos e impostos ser barrado por republicanos

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

21 de outubro de 2011 | 16h57

Os democratas do Senado norte-americano apresentaram nesta sexta-feira, 21, um projeto de lei para investir US$ 50 bilhões na infraestrutura do país e mais US$ 10 bilhões para criar um banco para incentivar investimentos em projetos privados de reforma de estradas e pontes. O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid (Nevada), disse que o projeto de lei será votado na primeira semana de novembro, quando os senadores voltarem de um recesso.

O anúncio de Reid ocorreu apenas algumas horas depois de republicanos terem votado contra um outro projeto democrata que visava ao repasse de US$ 35 bilhões a governos estaduais e municipais para que estes pudessem reter ou recontratar servidores públicos como professores, policiais e enfermeiros.

"Pela segunda vez em duas semanas, todos os republicanos do Senado se uniram para bloquear uma medida de bom senso que criaria centenas de milhares de empregos (...) e daria a nossa economia um magnífico impulso", declarou Reid em entrevista coletiva concedida em Washington.

Depois que os republicanos barraram, duas semanas atrás, o plano de criação de emprego do presidente Barack Obama, orçado em US$ 447 bilhões, os democratas mudaram de estratégia e desmembraram as propostas. A intenção é levar a votação individualmente cada um dos componentes do pacote.

Assim como a proposta de resgate aos governos municipais e estaduais, o custo do projeto de lei sobre infraestrutura será financiado por uma sobretaxação a pessoas que ganham mais de US$ 1 milhão por ano. Toda a renda de pessoa física acima desse nível estaria sujeita a uma sobretaxa de 0,7%, disse Reid.

A expectativa é de que os republicanos se oponham em bloco ao projeto, assim como têm feito em relação a outras tentativas democratas de estimular o crescimento da economia. Os congressistas republicanos alegam que os projetos de estímulo do governo "não são uma maneira eficaz" de criar empregos. Eles se opõem mais especificamente à taxação de milionários e à criação do banco de incentivo a investimentos em infraestrutura.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.