Democratas detalham plano para elevar teto da dívida dos EUA

Segundo os senadores do partido, o novo plano contém muitos elementos já aprovados por membros da oposição

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 17h52

Os senadores do Partido Democrata divulgaram os detalhes de um plano que aumentaria o teto de endividamento e adotaria medidas para reduzir o déficit orçamentário em US$ 2,7 trilhões ao longo dos próximos dez anos. Eles acrescentaram que o plano contém muitos elementos já aprovados por membros da oposição.

"O plano do Senado traz o real potencial de finalmente quebrar esse impasse", disse o senador democrata Chuck Schumer, durante uma entrevista coletiva, referindo-se à falta de um acordo dos congressistas governistas e da Casa Branca com o Partido Republicano sobre como lidar com a situação fiscal norte-americana. "(O plano) traz escolhas difíceis - escolhas difíceis para nós. É um aperto na fivela que terá consequências por anos", acrescentou.

A proposta dos senadores democratas prevê uma redução de US$ 1,2 trilhão nos gastos discricionários ligados ou não a programas de defesa, além de uma economia de US$ 1 trilhão que deve ser gerada com a redução das operações de guerra dos EUA no Iraque e no Afeganistão. O restante dos cortes viria de outras medidas pontuais, como reformas nas agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac. O plano do Senado não faz referência a aumentos de impostos, algo visto pelos democratas como uma grande concessão às exigências dos republicanos.

"O nosso lado sabe que qualquer projeto sério de redução da dívida inclui aumento de impostos, mas para evitar um default podemos lutar por mais receita mais tarde", disse Schumer.

A proposta democrata foi apresentada depois de negociações entre governo e oposição no final de semana terem fracassado. Na Câmara dos Representantes, onde o Partido Republicano detém a maioria dos assentos, também está sendo elaborado um projeto que aumenta o teto de endividamento e prevê medidas para reduzir o déficit orçamentário.

O plano democrata deve ser colocado em debate no Senado e pode ser submetido a votação no plenário na terça-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
planodemocrataeua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.