Dependente do dólar, Abicalçados vê "luz no fim do túnel"

Ribeirão Preto, 26 - O presidente da Associação Brasileira das Indústrias da Calçados (Abicalçados), Elcio Jacometti, afirmou que a ação do governo federal, anunciada nesta semana, de comprar dólares para pagar dívidas e recompor reservas é "uma luz no fim do túnel" para o setor calçadista. Segundo ele, mais de 70% das exportações de calçados brasileiros são feitas para as Américas do Norte e Latina, o que gera, obrigatoriamente, contratos e pagamentos na moeda norte-americana. "O governo não vai fazer nós perdermos mercados de novo e agiu corretamente em anunciar a compra de dólares, principalmente nesta época quando o fluxo de importações aumenta muito", disse Jacometti. De acordo com o presidente da Abicalçados, a ação do governo não pode ser vista como uma intervenção e não vai contra a posição de câmbio livre adotada no País desde o início de 1999. "É uma forma de recompor o caixa e indiretamente, ajuda setores exportadores brasileiros que, como o nosso, ainda depende do dólar", explicou. Jacometti afirmou que só mesmo o crescimento previsto de 15% no volume financeiro arrecadado com as exportações em 2004 ante 2003 deve fazer com que a arrecadação em Real seja igual nos dois anos. "Nós aumentamos as vendas apesar da queda do dólar. Com isso, acho que a indústria calçadista deve receber neste ano o mesmo volume em Real do movimentado em 2003", avaliou o presidente da Abicalçados. Jacometti considerou ainda como "muito boa" a iniciativa do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, de pedir aos exportadores que façam contratos em moedas mais valorizadas, como o euro e o iene, por exemplo. "Ações como essas já ocorrem no setor calçadista, mas são uma minoria", concluiu. De janeiro a outubro de 2004, de acordo com a Abicalçados, o volume financeiro arrecadado com as exportações do setor chegou a US$ 1,496 bilhão, 17,24% a mais do que no mesmo período do ano passado, quando foi movimentado US$ 1,276 bilhão. Os Estados Unidos respondem por 56,5% do volume comprado neste ano, com US$ 845,93 milhões em importações de calçados brasileiros. O país é seguido pelo Reino Unido, com 7,3% (US$ 109,9 milhões) das importações, Argentina, com 6%, México, 3,6%, e Canadá, 2,8%. Os calçados brasileiros são exportados para mais de 120 países, as vendas para o exterior geraram US$ 1,55 bilhão em 2003 e neste ano o volume deve beirar os US$ 1,8 bilhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.