Essentia Energia
Essentia Energia

Depois de abrir 2º maior parque solar do País, Essentia mira energia limpa para triplicar de tamanho

Empresa do Pátria Investimentos iniciou operação de usina de energia solar na Bahia com capacidade para abastecer 580 mil residências; para atingir meta de expansão, plano de investimento é de R$ 10 bilhões em 5 anos

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2021 | 05h00

A Essentia Energia, empresa de geração e comercialização de fontes renováveis do Pátria Investimentos, pretende triplicar de tamanho nos próximos cinco anos sobretudo com projetos eólicos e solares. Isso significa investir cerca de R$ 10 bilhões e alcançar pelo menos 3 mil megawatts (MW) de capacidade instalada no Brasil, diz Marcelo Souza, sócio do Pátria e presidente do conselho de administração da Essentia.

Criada em 2019, a empresa acaba de inaugurar seu primeiro projeto solar, com capacidade de 475 MWp (megawatt pico – uma medida para energia solar). O complexo Sol do Sertão está localizado a 485 km da capital baiana Salvador, na cidade de Oliveira dos Brejinhos, e tem potencial para atender cerca de 580 mil residências. 

A obra foi iniciada em marco do ano passado e enfrentou vários problemas decorrentes da pandemia, como a importação dos equipamentos. Mas conseguiu cumprir o cronograma estabelecido. No total, foi instalado mais de 1 milhão de painéis solares bifaciais – que têm células fotovoltaicas com duas faces em vez de apenas uma e absorve mais a insolação – numa área equivalente a mil campos de futebol.

Trata-se do segundo maior parque solar do País (o primeiro é da italiana Enel, no Piauí), diz o presidente da Essentia, Leonardo Serpa. Ele conta que, além do parque solar que custou R$ 1,4 bilhão, a empresa toca o projeto eólico Ventos de São Vitor, de 465 MW, em Xique-Xique, na Bahia. Nesse caso, o total de investimentos é de R$ 2,4 bilhão. O empreendimento só deve ser concluído no fim de 2022.

Outros projetos devem sair do papel nos próximos anos para que a empresa alcance a meta de triplicar de tamanho. Souza diz que a Essentia já está desenvolvendo novos empreendimentos para lançamento. 

“O Pátria tem bastante apetite para investir em energia renovável. O aumento da matriz energética daqui para a frente será reforçado com essas fontes. Por isso, as empresas precisam se posicionar bem no setor”, afirma. 

A Essentia recebeu recursos do Fundo 4 do Pátria e poderá receber mais dinheiro para novos projetos. Além de eólica e solar, a empresa tem interesse em investir em térmicas a biomassa e também no desenvolvimento de baterias.

Veja quais são os projetos do Essentia na Bahia:

  • Sol do Sertão:

Complexo solar localizado na Bahia tem capacidade instalada de 475 MW e  custou R$ 1,4 bilhão. Projeto foi inaugurado nesta semana.

  • Ventos de São Vitor:

Projeto eólico, também localizado na Bahia, terá capacidade instalada de 465 MW e vai custar cerca R$ 2,4 bilhões. Início de operação comercial deve ocorrer no fim de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.