Soraya Ursine/Estadao
Soraya Ursine/Estadao

Depois de dois anos, Cannes Lions retorna com edição presencial

Primeiros vencedores de Leões serão anunciados ainda hoje; tradicionalmente, Brasil é o 3º país mais premiado no festival, depois de Estados Unidos e Inglaterra

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2022 | 05h00

Depois de dois anos de edições online, por causa da pandemia de covid-19, o Cannes Lions - Festival Internacional de Criatividade, está trazendo de volta todos os elementos de sua edição presencial, incluindo as cerimônias de entrega dos cobiçados Leões e uma programação de palestras que incluirá expoentes não só do setor de publicidade e marketing, mas também de áreas como entretenimento, saúde e tecnologia. O evento, que tem o Estadão como representante oficial no País, começa hoje e vai até a próxima sexta-feira.

Cannes Lions, na verdade, aproveitou parte dos aprendizados trazidos pela pandemia para garantir que, mesmo quem não tenha a oportunidade de viajar até a Riviera francesa, possa ter acesso a todos os conteúdos do festival.

Trata-se da plataforma Lions Membership, serviço de assinatura que já supera 10 mil membros no mundo. Além disso, o Lions Membership também funciona como uma rede de contatos profissionais para o setor de criatividade.

Além da disputa por prêmios em mais de 30 categorias de premiação, Cannes Lions também vai celebrar quem faz a diferença nas mais diversas áreas. O festival já anunciou, por exemplo, que o Anunciante do Ano de 2022 será a AB InBev, gigante global das bebidas. Do lado humanitário, a homenageada será a ativista paquistanesa Malala Yousafzai, vencedora do Prêmio Nobel da Paz, que receberá o Lion Heart Award.

No que se refere aos conteúdos das palestras, demandas urgentes da indústria criativa parecem estar em primeiro plano em 2022. Além da presença de grandes anunciantes tradicionais, como Coca-Cola, Unilever, P&G e McDonald’s, há também um grande peso das plataformas de tecnologia este ano, com líderes de serviços como Spotify, YouTube, Amazon, Meta (dona do Facebook) e LinkedIn marcando presença no palco de Cannes.

Até 2019, era comum que as agências tentassem atrair público para seus eventos em Cannes Lions com celebridades escaladas para palestras que não tinham, necessariamente, relação com a indústria criativa. Isso parece ter mudado este ano. Entre as celebridades, talvez o nome mais conhecido seja o de Ryan Reynolds, ator de Hollywood conhecido por filmes como Deadpool.

O que muita gente não sabe, porém, é que Reynolds é cofundador da Maximum Effort, um misto de agência de publicidade e produtora de cinema que realiza tanto filmes quanto campanhas para clientes como Match.com (site de relacionamentos) e Peloton (marca de aparelhos de exercícios físicos de alto padrão). É sobre esse seu lado profissional que o astro falará em Cannes.

LEÕES

Mas nada movimenta mais agências e anunciantes do que a disputa pelos Leões e Grand Prix (Grande Prêmio) do festival. O Brasil, tradicionalmente, é o terceiro país mais premiado no festival todos os anos, atrás de Estados Unidos e Inglaterra - e chega com um total de inscrições de campanhas 31% superior ao de 2021. Os primeiros vencedores de Leões começam a ser revelados hoje. A partir da soma do desempenho ao longo do festival, será anunciada a Agência do Ano de 2022 - prêmio que o Brasil já trouxe diversas vezes para casa.

Tudo o que sabemos sobre:
Mídia & MktCannes Lions

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.