Deputados dos EUA concordam com plano para prorrogar isenção de payroll

Decisão vem após crescente pressão para que republicanos encerrassem impasse que ameaçou fazer com que os trabalhadores arcassem com um aumento de impostos no próximo ano

Andréia Lago, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2011 | 20h25

WASHINGTON - O líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, John Boehner, concordou em votar na próxima semana uma prorrogação dos benefícios federais para desempregados e a isenção tributária sobre a folha de pagamentos por dois meses, segundo assessores na Câmara e no Senado.

A decisão segue-se à crescente pressão para que os deputados republicanos encerrassem o impasse que ameaçou fazer com que os trabalhadores arcassem com um aumento de impostos no próximo ano.

O Congresso americano passou a semana num impasse após os deputados republicanos insistirem numa prorrogação dos benefícios por mais um ano. "O projeto do Senado estende o prazo por apenas dois meses, mas as empresas recolhem seus impostos trimestralmente. Então os empregadores terão um custo com essa decisão", criticou o líder dos republicanos na Câmara, John Boehner. Segundo ele, isso prejudicaria as pequenas empresas.

Hoje, entretanto, o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell apelou aos parlamentares para que aprovassem uma prorrogação de curto prazo, somando-se ao número cada vez maior de senadores republicanos preocupados com o fim dos benefícios aos trabalhadores.

Segundo assessores nas duas casas do Congresso, o projeto da Câmara incluirá uma pequena provisão técnica para resolver o problema enfrentado pelas empresas com uma prorrogação por dois meses, conforme o texto já aprovado no Senado. 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
euapayrollampliação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.