Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Desaceleração do PIB do País em 2011 foi fabricada aqui, diz Bradesco

Segundo o diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos da instituição, ações tomadas pelo governo para desacelerara economia surtiram efeito

Daniela Amorim, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2011 | 19h22

RIO - A desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro não foi consequência da crise econômica internacional que assola, sobretudo, a zona do euro, mas sim das medidas internas, segundo o diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, Octavio de Barros.

O economista disse que as ações tomadas pelo governo da presidente Dilma Roussef para desacelerar a economia, como o aumento da taxa básica de juros (Selic) e a adoção das macroprudenciais, surtiram efeito.

"Parece que o cenário de crise gerou a desaceleração do PIB. Mas 80% da desaceleração do Brasil é fabricada em casa. Só 20% é fruto da crise europeia", afirmou o diretor do Bradesco. "O Brasil está tendo uma desaceleração importante, que foi desejada e perseguida pelo governo, corretamente, por conta das pressões inflacionárias", disse Barros, que participou de um evento na Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais do Rio de Janeiro (Apimec Rio).

Tudo o que sabemos sobre:
pibbrasilbradescoOctavio de Barros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.