Desconto inclui toda a dívida grega em mãos privadas até 2035

 O chamado 'haircut', ou desconto, envolveria um total de € 200 bilhões

Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 16h56

Um novo desconto (haircut) na dívida da Grécia envolverá toda a dívida importante do país com o setor privado até 2035, informou uma fonte do governo grego nesta segunda-feira. "Toda a dívida importante em mãos privadas é de cerca de 200 bilhões de euros", afirmou o funcionário.

A fonte disse esperar que os credores internacionais da Grécia - a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Central Europeu (BCE) - cheguem a uma decisão sobre um novo desconto no encontro de líderes da UE na quarta-feira. Segundo ele, o desconto não foi definido, mas será "estritamente voluntário" e tem o apoio do BCE.

"Se o BCE não concordar, não podemos prosseguir com nada", notou. O funcionário disse que os bancos gregos têm garantia de que serão recapitalizados e os bancos privados permanecerão em mãos privadas.

Pessoas familiarizadas com as reuniões em Bruxelas disseram à Dow Jones que o haircut deve ficar entre 40% e 60% e que um compromisso deveria ser alcançado em cerca de 50%.

Os credores privados da Grécia concordaram com um haircut de 21% do atual valor líquido de seus títulos em julho, mas desde então a economia grega se deteriorou e a dívida do país mostrou-se insustentável sem um desconto maior na dívida. O funcionário afirmou que a Grécia continua a falar com seus credores da dívida soberana, a fim de chegar a uma ampliação do período de renegociação de seu primeiro pacote de ajuda, de 110 bilhões de euros, e também a uma taxa de juros menor.

As informações são da Dow Jones. (Gabriel Bueno)

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacrise globalhaircutdívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.