Desemprego cai para 5,3% em agosto, a menor taxa do ano

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 1,7% em agosto ante julho e aumento de 1,3% na comparação com agosto do ano passado 

Idiana Tomazelli, da Agência Estado,

26 de setembro de 2013 | 09h16

RIO - A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,3% em agosto, ante 5,6% em julho e 6% em junho deste ano, informou há pouco o instituto. O resultado ficou do piso das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (5,40% a 5,80%).

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 1,7% em agosto ante julho e aumento de 1,3% na comparação com agosto do ano passado. A coletiva para comentar os resultados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) começará em instantes.

A taxa de desemprego em agosto é a menor registrada este ano. Até então, a taxa mais baixa havia sido observada em janeiro deste ano (5,4%). Em dezembro, o desemprego havia ficado em 4,6%. Em julho, a taxa de desocupação havia sido de 5,6%, e de 6% em junho de 2013. O dado de agosto repete a taxa registrada em igual mês do ano anterior, de 5,3%.

Massa salarial

A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 44,2 bilhões em agosto, alta de 2,3% em relação a julho. Na comparação com agosto de 2012, a massa cresceu 2,7%.

Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 44 bilhões em julho, com alta de 3% frente ao mês anterior. Na comparação com julho de 2012, houve aumento de 2,7% na massa de renda efetiva.

O rendimento médio do trabalhador foi de R$ 1.883,00 em agosto, uma alta de 1,7% em relação a julho.

Mais conteúdo sobre:
desemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.