Desemprego chega a 5,8% em abril, o menor para o mês na história

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou baixa de 0,2% em abril ante março e aumento de 1,6% na comparação com abril de 2012

Fernanda Nunes, da Agência Estado,

23 de maio de 2013 | 09h05

RIO - A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,8% em abril, ante 5,7% em março, divulgou o instituto. O resultado veio no teto do intervalo das estimativas colhidas pelo AE Projeções, que iam de 5,5% a 5,8%, com mediana de 5,6%.

A taxa de desemprego é a menor para um mês de abril desde o início da série histórica, em março de 2002. Em abril, a população ocupada, de 22,9 milhões de pessoas, "não se alterou significativamente" tanto em comparação ao mês anterior, quanto a igual mês de 2012, segundo o IBGE. Em relação a março deste ano, a população ocupada caiu 0,1% e, ante abril de 2012, avançou 0,9%.

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou baixa de 0,2% em abril ante março e aumento de 1,6% na comparação com abril de 2012. O gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), Cimar Azeredo, concede entrevista coletiva em instantes para comentar os resultados.

A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 43,0 bilhões em abril, estabilidade (0,0%) frente a março. Na comparação com abril de 2012, a massa cresceu 2,4%.

Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 42,8 bilhões em março, uma queda de 0,1% em relação a fevereiro. Na comparação com março de 2012, houve aumento de 2,7% na massa de renda efetiva. O rendimento médio do trabalhador foi de R$ 1.862,40 em abril, após ter sido de R$ 1.865,76 em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.