Desemprego na região metropolitana de São Paulo sobe para 11,6% em abril

Indústria da transformação e setor de serviços abriram mais vagass, mas o comércio, a construção e a reparação de veículos diminuiu o número de postos de trabalho

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

28 de maio de 2014 | 10h21

SÃO PAULO - A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em abril subiu para 11,6%, ante 11,5% em março segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada pela Fundação Seade e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O nível de ocupação ficou estável com eliminação de 6 mil postos ao mesmo tempo que ingressaram 24 mil pessoa na força de trabalho. O número de ocupados foi estimado em 18,576 milhões de pessoas. Na passagem de março para abril o total de desempregados foi previsto em 2,324 milhões de pessoas. Na comparação com abril do ano passado, houve avanço no total de desempregados, com taxa passando de 11,2% para 11,1%

A indústria de transformação na região abril 39 mil postos, crescimento de 1,4%. O setor de serviços abriu 77 mil vagas (0,7%). Já no setor de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas houve eliminação de 91 mil postos, queda de 2,5% e na construção, o fechamento de 26 mil vagas representou uma queda de 1,7% do emprego no setor.

A taxa de desemprego no conjunto das seis regiões metropolitanas pesqusiadas subiu de 11% em março para 11,1% em abril. O nível de ocupação ficou estável.

Renda média. O rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo avançou 0,8% em março de 2014 na comparação com fevereiro, passando para R$ 1,914 mil. A renda média real dos assalariados subiu 1,1% e atingiu R$ 1,922 mil. Na comparação com março de 2013, houve uma variação positiva de 5,1% no rendimento médio real dos ocupados e um avanço de 4,9% no caso dos assalariados.

Tudo o que sabemos sobre:
empregoDieeseSeade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.