Despesas do governo central bateram recorde em 2010, com 19,14% do PIB

Resultado das contas do Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social representa 2,16% do PIB, ante meta de 2,15% do PIB

Célia Froufe e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 10h49

As despesas do governo central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social) em 2010, ano de eleições, bateram recorde e atingiram 19,14% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com dados divulgados hoje pelo Tesouro Nacional. Em 2009, essas despesas totalizaram 17,96% do PIB; ante 16,42% em 2008. As receitas líquidas também bateram recorde e atingiram 21,30% do PIB no ano passado, contra 19,20% em 2009. As receitas totais também foram recorde e atingiram 25,15% do PIB no ano anterior.  

As contas do governo central apresentaram superávit de R$ 14,44 bilhões em dezembro, levando o resultado de 2010 a ficar positivo em R$ 78,96 bilhões. Segundo informou o Tesouro Nacional nesta sexta-feira, 28, o superávit do governo central representou 2,16% do PIB, ante uma meta de 2,15%.

O resultado superou as estimativas dos economistas consultados pelo AE Projeções, que esperavam de um déficit de R$ 2,100 bilhões a um superávit de R$ 13,600 bilhões em dezembro e um intervalo de superávit entre R$ 62,500 bilhões e R$ 78,200 bilhões para 2010.

O resultado que é considerado para efeito de cumprimento ou não do objetivo, no entanto, é o que será divulgado na segunda-feira pelo Banco Central. Isso porque as metodologias de cálculo utilizadas pelo Tesouro e o BC são diferentes e podem apresentar discrepâncias estatísticas que acabam influenciando o resultado.

Tesouro Nacional

O Tesouro Nacional registrou superávit de R$ 10,813 bilhões em dezembro de 2010, colaborando para que o resultado do ano passado ficasse positivo em R$ 122,376 bilhões. Em 2009, o Tesouro teve saldo positivo de R$ 82,933 bilhões.

A Previdência Social também computou superávit de R$ 3,474 bilhões em dezembro, mas no acumulado do ano ainda registra um saldo negativo de R$ 42,890 bilhões. O resultado é bem próximo ao déficit verificado em 2009 de R$ 42,867 bilhões. O Banco Central exibiu o mesmo comportamento, ao registrar um saldo positivo de R$ 152,6 milhões no último mês do ano, mas acumula um déficit de R$ 519,9 milhões em 2010, ante déficit de R$ 629,6 milhões em 2009.

(Texto atualizado às 10h55)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.