Diante de inflação austeridade é melhor caminho, diz Trichet

Em entrevista ao 'WSJ', presidente do BCE defendeu sua postura linha-dura sobre política fiscal e inflação

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

24 de janeiro de 2011 | 09h27

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, defendeu sua postura linha-dura sobre política fiscal e inflação, dizendo que a austeridade orçamentária e a vigilância diante do aumento dos preços da energia e das commodities são o melhor caminho para a recuperação econômica.

Numa entrevista ao Wall Street Journal antes da reunião anual do Fórum Econômico Mundial, que começará na quarta-feira, em Davos (Suíça), Trichet alertou que as pressões inflacionárias na zona do euro precisam ser observadas de perto, e urgiu que os bancos centrais mundiais assegurem que os preços mais altos da energia e dos alimentos não ganhem posição firme na economia global.

O presidente do BCE sinalizou que não permitirá que o enfraquecimento econômico da Grécia, Irlanda e outras economias periféricas da Europa adie o aumento das taxas de juros pelo BCE, se ele perceber ameaças para a estabilidade dos preços.

"Todos os bancos centrais precisam ser muito cautelosos, em períodos como este onde você tem ameaças inflacionárias que são provenientes das commodities, para que não haja efeitos de segunda ordem sobre os preços domésticos, afirmou Trichet.

O presidente do BCE argumentou que a disciplina orçamentária ajudará o crescimento na Europa mais do que a renovação dos estímulos, e pediu para que os 17 países membros da zona do euro fortaleçam a "vigilância" das suas políticas fiscais. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.