Dilma decidirá cancelamento sobre licitação de blocos pela ANP, diz Lobão

Segundo ministro, presidente já está com as informações sobre o tema passadas pelo CNPE, mas ainda não tomou a decisão 

Sergio Torres, da Agência Estado,

30 de junho de 2011 | 12h58

O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, disse no início da tarde desta quinta-feira, 30, que a decisão sobre o cancelamento da 11º rodada de licitações dos blocos exploratórios de petróleo organizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) será decidida pela presidente Dilma Rousseff.

Segundo Lobão, a presidente já está com as informações sobre o tema passadas pelo CNPE, mas ainda não tomou a decisão. "Ela pode dizer: não quero uma nova rodada. Então não se fará. Mas se ela decidir amanhã, faremos no segundo semestre", afirmou Lobão, após a transmissão do cargo de diretor presidente do Serviço de Geologia do Brasil, no Rio. O ministro acrescentou que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) não tem poder decisório. "O CNPE é apenas um órgão de assessoramento da Presidência", disse.

No mercado petrolífero já circula a informação de que a rodada que porá em leilão 174 blocos nas regiões Norte e Nordeste poderá ser adiada. O prazo previsto pelo governo era de que ela ocorresse no segundo semestre deste ano, mas, como informou hoje o jornal O Estado de S.Paulo, a Petrobrás buscou o governo para pedir o adiamento para 2012, diante da demora na aprovação do seu plano de investimentos para o período 2011-2015. O governo quer que a estatal corte parte dos gastos previstos no plano, mas isso poderia deixar a Petrobrás fragilizada para disputar blocos no leilão.

Tudo o que sabemos sobre:
licitaçãopré-salblocoANPgoverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.