Dilma ficou surpresa com resultado do leilão do Banco Postal, diz ministro

Segundo Paulo Bernardo, do Ministério das Comunicações, presidente ficou 'satisfeita' com resultado

Karla Mendes, da Agência Estado,

31 de maio de 2011 | 16h32

A presidente Dilma Rousseff ficou "surpresa" com a vitória do Banco do Brasil no leilão do Banco Postal, anunciado nesta terça-feira, 31. O resultado pôs fim a uma parceria de dez anos entre os Correios e o Bradesco. "Ela ficou surpresa, porque achou que o Bradesco pudesse cobrir qualquer proposta. Mas disse que ficou satisfeita com o resultado", afirmou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que esteve na sede dos Correios para o anúncio oficial do resultado.

Na visão do ministro, a parceria dos Correios com o Banco do Brasil abre espaço para que o banco público aumente a bancarização do País e a interiorização dos seus serviços em todos os municípios brasileiros. Além disso, Bernardo ressaltou que a vitória do Banco Brasil na licitação do Banco Postal mostra a disposição do banco de "conquistar um espaço novo".

Na licitação em que o Bradesco foi vencedor, em 2001, o lance dado pelo Bradesco foi de R$ 200 milhões. Ao comparar com os R$ 2,3 bilhões oferecidos pelo Banco do Brasil, o ministro destacou o valor de uma parceria com os Correios. "Os Correios são uma jóia que pertence à União e essa disputa mostra o valor de uma parceria com os Correios."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.