Dilma reduz juros para agricultores familiares

Índices que variavam de 1% a 4% caíram entre 0,5% e 2%

Tânia Monteiro, da Agência Estado,

18 de maio de 2011 | 14h36

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira a redução dos juros para a agricultura familiar. Os índices que variavam de 1% a 4% caíram entre 0,5% e 2%. O anúncio foi durante reunião da presidente  com cerca de 30 representantes do campo, entre eles o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores (Contag), Alberto Broch, que integram o movimento Grito da Terra, que está em Brasília.

Segundo relato de Broch,  Dilma anunciou que vai manter os R$ 16 bilhões para o plano safra 2011/2012, já que o setor, apesar de ter recebido o mesmo volume de recursos em 2010, só conseguiu usar R$ 11 bilhões. Anunciou também, a criação de uma Superintendência de Habitação Rural para atender a população do campo. Segundo Broch, apesar de eles terem pedido R$ 1 bilhão para a habitação, este ano, o governo se comprometeu com a liberação de R$ 900 milhões, que devem beneficiar 50 mil famílias. Alguns estudos, segundo a Contag, apontam que a carência no campo é de cinco a seis milhões de residências.

Ainda durante o encontro, a presidente entregou para os trabalhadores rurais um caderno com as respostas às 185 demandas do setor. Dilma informou que os ministros do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho participarão agora à tarde do encontro com o movimento Grito da Terra, na Esplanada dos Ministérios.

Ela explicou que apesar de ter participado de cerimônias anteriores do Grito da Terra, ao lado do então presidente Lula, este ano não seria possível porque ainda está se recuperando da pneumonia. Segundo relato dos participantes, Dilma disse que ainda não está curada e que ainda não está se sentindo bem, exatamente o contrário do que declarou ontem à imprensa.

Também por causa da doença, a presidente disse que não ia cumprimentar um a um dos participantes do encontro. Ela prometeu, no entanto, estar presente à Marcha das Margaridas, em agosto, em Brasília. 

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseffagricultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.