Dilma sinaliza que governo pode vetar aumento dos aposentados

Segundo pré-candidata do PT, veto pode ocorrer caso o Senado aprove reajuste maior do que 7%

Vera Rosa, da Agência Estado,

19 de maio de 2010 | 18h51

A pré-candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, sugeriu nesta quarta-feira, 19, que o governo pode vetar o aumento dos aposentados, caso o Senado aprove um reajuste maior do que 7%. "Tenho clareza de que o presidente Lula é um homem responsável e dará aos aposentados o que for compatível com a receita do País", afirmou a petista. "Diferentemente disso, não seria correto da parte do presidente e ele não o faria".

Dilma ressalvou, porém, que Lula nunca deixou os trabalhadores "na mão" e tem muita sensibilidade. "Ele fará o possível para ter uma posição justa: de um lado, contemplando os aposentados e, de outro, como é responsável, olhando as receitas do País".

A petista admitiu que os aposentados acumularam perdas, mas responsabilizou os governos anteriores, "que não davam sequer a inflação". Questionada se não temia que um possível veto tivesse impacto negativo sobre sua campanha, Dilma disse não ter receio das consequências. "As pessoas entendem aquilo que você faz com seriedade e compromisso social", argumentou.

Sem perder de vista a disputa com o PSDB, a pré-candidata do PT aproveitou para dar uma estocada nos tucanos. Ao lembrar que recentemente o governo Lula aumentou os juros de 8,75% para 9,5% ao ano - jogando por terra o dogma de que não se fazia isso em ano eleitoral -, Dilma disse que "no passado" o País quebrava e a população só ficava sabendo do fato após a eleição. "Seguravam (as informações) até passar a eleição e depois o País quebrava. Isso não está certo. Não é essa a política que o País merece", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
reajusteaposentadoriaSenadoDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.