EFE
EFE

Volkswagen promete investigar testes de diesel em macacos

Inquérito aberto após reportagem do jornal The New York Times apura se a empresa ajudou a patrocinar testes em que macacos foram expostos a fumaça de diesel tóxico

O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2018 | 13h59

O conselho de administração da Volkswagen pediu a abertura de um inquérito interno para apurar responsabilidades após uma reportagem do The New York Times revelar que a montadora ajudou a patrocinar testes em que macacos foram expostos a fumaça de diesel tóxico. 

“Farei todo o possível para garantir que este assunto seja investigado em detalhes”, disse ontem o presidente do conselho da Volkswagen, Hans Dieter Poetsch. “Quem é responsável por isso deve, naturalmente, ser responsabilizado”, frisou o executivo.

+ Volkswagen admite que também fraudou testes de emissão de poluentes na Europa

A reportagem do NYT mostrou que três montadoras alemãs – Volkswagen, Daimler e BMW – usaram uma organização chamada Grupo de Pesquisa Europeu sobre Ambiente e Saúde no Setor dos Transportes (EUGT, na sigla em inglês) para realizar os testes. A EUGT foi dissolvida no ano passado, mas era totalmente financiada pelas fabricantes. 

Trata-se de mais de uma polêmica envolvendo a Volkswagen, que há dois anos foi alvo de uma chuva de processos em todo o mundo por tentar “driblar” testes de emissão de seus motores a diesel.

+ Presidente global da Volkswagen renuncia em meio a escândalo nos Estados Unidos

O estudo com macacos, feito em 2014, foi projetado para defender o diesel após revelações de que a fumaça de escapamento do combustível era cancerígena, informou o jornal. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
VolkswagenBMWDaimler-chrysler

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.