Diretor de Abastecimento da Petrobras diz ter tido poucos contatos com Paulo Roberto

O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, afirmou à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional que teve poucos contatos com o ex-diretor da divisão Paulo Roberto Costa, delator de um esquema de corrupção na estatal.

REUTERS

29 de outubro de 2014 | 16h34

Costa delatou um esquema de "sobrepreços" em contratos da estatal, cujos pagamentos, em sua maioria, teriam como destino partidos políticos, como PT, PP e PMDB.

Desde que assumiu a diretoria de Abastecimento, Cosenza disse à CPMI ter tido no máximo três contatos telefônicos com Paulo Roberto e dois pessoalmente.

Esses contatos teriam sido "estritamente" profissionais. Costa passou a atuar como consultor privado após deixar a diretoria assumida por Cosenza.

Cosenza, que atuou como gerente-executivo de Refino, antes de assumir a diretoria de Abastecimento, tem formação em engenharia química e mais de 30 anos de experiência na Petrobras.

Ele ressaltou ainda em depoimento à CPMI que sua indicação para a diretoria foi "técnica" e não partidária.

(Por Nestor Rabello)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROBRASCONSENZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.