Dadi Ruvic/Reuters
Dadi Ruvic/Reuters

Disney vê aumento de assinantes em streaming e ações sobem após balanço

Companhia adicionou quase 8 milhões de usuários entre janeiro e março; lucro no período foi de US$ 470 milhões, com papéis avançando quase 3% após fechamento do mercado

Matheus Andrade, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2022 | 17h55

A Disney informou, nesta quarta-feira, 11, que registrou lucro líquido de US$ 470 milhões no segundo trimestre fiscal de 2022, uma queda ante o saldo positivo de US$ 972 milhões apurado em igual período de 2021. Em termos ajustados, o ganho por ação caiu de US$ 0,50 para US$ 0,26, na mesma comparação, ficando aquém da previsão de analistas consultados pela FactSet, de US$ 1,19. A receita saltou 23% nos três meses iniciais do ano, a US$ 19,249 bilhões, na comparação com 12 meses.

Bob Chapek, CEO da The Walt Disney Company, descreveu "fortes resultados no segundo trimestre, incluindo um desempenho fantástico em nossos parques domésticos e crescimento contínuo de nossos serviços de streaming, com 7,9 milhões de assinantes do Disney+ adicionados no trimestre".

Por volta das 17h26 (de Brasília), a ação da Disney subia 2,96% no after hours de Nova York, após divulgação do balanço. Os resultados com streaming da companhia contrastam com os divulgados recentemente pela Netflix, que viu perda de assinantes no período, com perspectivas negativas para os próximos meses.

Segundo a empresa, no ano fiscal de 2022, seus parques e resorts domésticos geralmente estão operando sem restrições de capacidade relacionadas à covid-19, como aquelas que estavam em vigor no ano anterior. Neste setor, as receitas avançaram a US% 6,7 bilhões, comparados com US$ 3,2 bilhões do mesmo trimestre de 2021.

No segmento Disney Media and Entertainment Distribution, os filmes e as produções televisivas foram retomados, embora tenham sido vistas interrupções na produção, dependendo das circunstâncias locais, aponta a companhia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.