Diversificação pode aliviar spread menor, diz Santander

O Santander vê na diversificação de receitas e na prestação de mais serviços a pessoas físicas uma forma de os bancos manterem a rentabilidade em meio à queda dos juros e dos spreads no crédito, avalia o presidente do banco espanhol, Marcial Portela.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR E CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 12h27

Ele destacou que a queda da taxa de juros veio para ficar e terá impacto forte no setor bancário como um todo, obrigando os bancos a revisar os modelos de negócios. Para o fim de 2012, o presidente do Santander vê a Selic em 7%, número até abaixo da previsão do último boletim Focus (que estima a taxa em 7,5%).

O presidente do banco ressalta que o sistema brasileiro passará por uma transformação como ocorreu na Espanha no início da década de 90, quando o Santander era um dos menores bancos do país e no prazo de dez anos se colocou como uma instituição financeira relevante.

Tudo o que sabemos sobre:
Santanderbalançosegundo trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.