Dívida dos EUA voltará a se aproximar do teto na sexta-feira

A dívida dos EUA ficará US$ 100 bilhões abaixo do seu limite, que é de US$ 15,194 trilhões

Clarissa Mangueira,

27 de dezembro de 2011 | 14h15

A dívida dos EUA ficará US$ 100 bilhões abaixo do seu limite, que é de US$ 15,194 trilhões na sexta-feira, e por isso, o governo Obama deverá buscar um aumento de US$ 1,2 trilhão no valor do teto, prevê o Departamento do Tesouro.

Sob o Ato de Controle Orçamentário de 2011, o presidente submete uma certificação escrita ao Congresso quando a dívida chega aos US$ 100 bilhões abaixo do teto, o que o Tesouro estima acontecerá até o final do expediente na sexta-feira.

O Congresso pode considerar "uma resolução conjunta de desaprovação". Se tal resolução não for promulgada dentro de 15 dias do calendário, o limite da dívida será aumentado. Se uma resolução for promulgada dentro de 15 dias, o limite da dívida não será elevado. Se o Congresso aprovar essa resolução, o presidente pode vetá-la.

De acordo com a lei e assumindo que uma resolução não seja promulgada, o limite da dívida será aumentado em 14 de janeiro. O Tesouro prevê que o limite elevado da dívida não será alcançado novamente até o fim de 2012.

A dívida aumenta significantemente no fim de cada ano como resultado de alguns pagamentos que o Tesouro precisa fazer para os fundos fiduciários federais. Um numero grande de pagamentos de juros precisa ser feito para vários desses fundos, como os de Seguridade Social. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAdívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.