Dívida pública do governo cresce 0,31%, para R$ 1,388 tri

Endividamento interno do País sobe, com emissão de títulos e apropriação de juros e eleva dívida federal

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

23 de junho de 2009 | 15h16

A Dívida Pública Federal registrou um aumento de 0,31% em maio ante abril, para R$ 1,388 trilhão, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 23, pelo Tesouro Nacional. O valor é resultado da soma entre os endividamentos externo e interno do País.

 

A Dívida Pública Federal Externa (DPFe) totalizou R$ 114,06 bilhões no mês de maio, uma redução de 6,70% em relação a abril. Segundo o Tesouro Nacional, R$ 88,52 bilhões são dívida mobiliária e R$ 25,54 bilhões se referem à dívida contratual. A queda em relação a abril, informou o Tesouro, deve-se à variação do real, no período, frente às demais moedas que compõem a Dívida Externa.

 

A dívida pública mobiliária federal interna (DPMFI) totalizou R$ 1,274 trilhão no mês de maio, o que significa um aumento de 0,99% em relação a abril. Essa elevação na dívida, de acordo com o Tesouro, se deve a uma emissão líquida de R$ 2,45 bilhões e pela apropriação de juros no valor de R$ 10,023 bilhões.

 

A parcela dos títulos da dívida pública mobiliária federal interna que tem remuneração prefixada subiu de 28,51% em abril para 29,83% em maio. Já os papéis atrelados à taxa Selic também registraram uma elevação de 38,35% do total do estoque em abril para 39,30% em maio.

 

A parcela remunerada por índices de preços teve uma queda de 30,59% para 28,44% no período. A fatia da dívida atrelada ao câmbio caiu de 0,98% em abril para 0,88% em maio. Já a participação dos papéis remunerados pela Taxa de Referência (TR) se manteve praticamente estável, em 1,55% em maio ante 1,56% em abril.

 

Considerando as operações de swap cambial, a participação dos títulos atrelados à Selic aumenta de 37,06% em abril para 39,24% em maio. A participação dos papéis indexados à variação cambial caiu de 2,27% em abril para 0,94% em maio.

 

A vencer

 

A parcela da Dívida Pública Mobiliada Federal Interna com vencimento em 12 meses caiu, em maio, de 30,62% do total do endividamento para 28,43%. Este é um importante indicador observado pelos investidores para avaliar a sustentabilidade do endividamento: quanto menor o porcentual, melhor a situação da dívida.

 

No mês, a parcela da Dívida Pública Federal (DPF) a vencer em 12 meses caiu de 28,58% para 26,71%, e está dentro da banda fixada pelo Tesouro para 2009 no Plano Anual de Financiamento (PAF), que é de 25% a 29%. O prazo médio da DPMFi subiu de 3,34 meses para 3,37 meses, e o prazo médio da DPF ficou em 3,56 meses, ante 3,55 meses em abril e está dentro da banda oficial do PAF, que vai de 3,4 meses a 3,7 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
Dívida PúblicaTesouro Nacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.