Dólar acentua alta após ações do Banco Central

BC fez leilão de dólar a termo e anunciou oferta de US$ 1,5 bilhão em contratos de swap cambial reverso

Cristina Canas, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2011 | 12h29

A cotação do dólar bate consecutivas máximas após o Banco Central fazer um leilão de dólar a termo e anunciar uma oferta de 30 mil contratos (US$ 1,5 bilhão) - de três vencimentos - de swaps cambiais reversos. Há pouco, a moeda norte-americana registrava a máxima até o momento, de R$ 1,670, com valorização de 0,48% sobre o fechamento de ontem, no balcão.

A agressividade das intervenções do Banco Central é retomada num pregão em que o dólar mostrava trajetória de alta desde a abertura e somente um dia após a autoridade romper a rotina, realizando apenas um leilão de compra no mercado à vista.

A atitude de ontem levou alguns analistas a considerarem a possibilidade de o Banco Central retomar o uso da taxa de câmbio como auxiliadora no combate à inflação. Durante a gestão anterior, em que o intervencionismo no câmbio era menor, havia quase consenso em torno da ideia de que, apesar de negar, o BC lançava mão desse instrumento. Desde o início do ano, no entanto, o entendimento é de que a prática foi interrompida.

Além disso, ontem surgiram também comentários de que o BC poderia estar tentando deixar o mercado "mais livre", visto que as atuações pesadas roubaram volatilidade de volume ao mercado de câmbio. Essas possibilidades duraram pouco. "Com os leilões de hoje, não há dúvidas de que o BC ainda continua atento e não quer a taxa para baixo", disse um operador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.