Donos de navio na China questionam segurança dos Valemaxes

A associação de donos de navio na China pedirá ao governo do país asiático que cuidadosamente reavalie a segurança dos supernavios da Vale antes de permitir o acesso aos portos nacionais, porta de entrada para o maior mercado da produtora brasileira de minério de ferro.

REUTERS

13 de dezembro de 2011 | 14h31

A associação afirmou que os Valemaxes, que pesam 400 mil toneladas e são os maiores cargueiros do mundo, não foram rigorosamente testados e podem ser uma ameaça à segurança.

A indústria toma essa posição uma semana depois de o Vale Beijing ter rachado no Maranhão antes de dar início à viagem principal .

"Esses supernavios foram construídos recentemente (...) e não se tem certeza ainda de que podem enfrentar variadas condições marítimas", afirmou o grupo em e-mail à Reuters.

"Se houver algum vazamento de combustível, a poluição será catastrófica", acrescentou.

O Vale Beijing é um dos primeiros dos 35 supernavios comissionados pela Vale, que está apostando nesses cargueiros para diminuir os custos de remessa e competir melhor com concorrentes australianos como BHP Billiton e Rio Tinto.

A China ainda não abriu os portos para os supernavios.

Influentes donos de navio estão fazendo lobby para que o governo mantenha essas embarcações longe dos portos do país, temendo que a Vale use a frota para monopolizar o mercado de transporte via cargueiros.

(Por Ruby Lian e Kazunori Takada)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAVALECHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.