Drogasil e Droga Raia voltam a disparar por possível associação

As ações das redes de drogarias Raia e Drogasil disparavam pelo segundo dia consecutivo nesta quarta-feira, em meio à possibilidade de associação entre as empresas.

VIVIAN PEREIRA, REUTERS

27 de julho de 2011 | 11h38

Na véspera, as duas companhias comunicaram, após o fechamento da Bovespa, estarem estudando alternativas para criar uma única companhia listada no Novo Mercado, além de um acordo de associação, para regular seus termos e condições.

Às 11h10, as ações da Drogasil saltavam 12,74 por cento, cotadas a 13,36 reais, enquanto as da Raia avançavam 8,26 por cento, para 30,00 reais. Ambas não integram o principal índice acionário brasileiro, Ibovespa, que no mesmo instante caía 1,65 por cento.

"A alta (das ações) ontem e hoje justifica o que pode haver de positivo na associação das empresas, mas existe um limite para essa valorização", disse o analista Iago Whately, da Fator Corretora. Segundo ele, a Drogasil, por exemplo, já superou o preço-alvo estabelecido pela corretora, de 13 reais.

Whately afirmou ainda esperar que uma definição quanto às negociações leve tempo, o que deve fazer com que as ações parem de subir no curto prazo. "Não deve sair antes da divulgação de resultados do segundo trimestre", acrescentou.

A Drogasil apresenta seu balanço trimestral em 10 de agosto e a Raia, um dia depois.

No mesmo sentido, o analista Ricardo Boiati, do Bradesco, vê "importantes sinergias" na possível associação, que representaria "um movimento de defesa contra o avanço de outros 'players' no mercado mais importante do país, o Estado de São Paulo".

Conforme Boiati, o negócio também ajudaria a impulsionar outras operações de consolidação no setor de drogarias.

A Drogasil ocupa a vice-liderança entre as redes de drogarias nacionais, seguida pela Raia, conforme dados da associação que representa o setor, Abrafarma. Em junho do ano passado, a Drogaria São Paulo adquiriu a rede Drogão, dando origem à maior rede farmacêutica paulista e nacional.

A operação entre Drogasil e Raia pode ser vista como positiva para o setor, avaliado como ainda muito pulverizado. "Mas, por mais que haja sinergias, ainda é preciso entender como seria feita essa associação", disse o analista da Fator.

Em 2010, a Raia teve receita bruta de 1,9 bilhão de reais e a Drogasil apurou faturamento de 2,1 bilhões de reais. A Raia tinha 350 lojas no fim de dezembro, enquanto a Drogasil possuía 338 unidades, de acordo com informações nos demonstrativos de resultados de ambas as companhias.

Na terça-feira, as ações da Drogasil e da Raia subiram 10,2 e 4,2 por cento, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASDROGASILDROGARAIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.