EADS diz que negociação com governo sobre fusão com BAE avançou

O presidente-executivo da EADS Tom Enders disse que as negociações com o governo sobre uma proposta de fusão com a BAE Systems foram construtivas e avançaram, mas reconheceu que ainda há trabalho a ser feito para vender a participação de 45 bilhões de dólares para investidores.

Reuters

19 de setembro de 2012 | 12h51

Explicando a lógica por trás dos planos para criar o maior grupo de defesa do mundo, Enders disse aos funcionários que a EADS estava tentando atender as preocupações dos governos e ofereceu garantias depois de uma queda no preço das ações da empresa.

"Eu realmente acredito que este acordo representa o que é chamado de 'ajuste perfeito': não adiciona complexidade e oferece oportunidade", disse Enders, em uma carta interna.

Ele disse que a EADS, controladora da Airbus, e a britânica BAE, que terão até 10 de outubro para dizer se continuarão ou não com o plano de fusão, estão em boas condições para anunciar mais detalhes para o mercado e para funcionários "provavelmente em breve".

(Por Tim Hepher)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASEADSLEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.