EADS eleva previsão de lucro com salto de pedidos da Airbus

A EADS, cuja unidade Airbus superou até agora neste ano a rival Boeing na batalha de encomendas de aviões, previu um significativo aumento do lucro operacional no próximo ano, conforme cresce a demanda por aeronaves.

JAMES REGAN E CYRIL ALTMEYER, REUTERS

29 de julho de 2011 | 08h26

A EADS previu que a Airbus vai vender mais de 1.000 aviões em 2011, apoiada em decisão de atualizar a família de jatos A320 para tecnologias que consomem menos combustível e que deram à empresa liderança sobre a Boeing no segmento.

O grupo publicou resultados de segundo trimestre acima do esperado pelo mercado nesta sexta-feira, assim como fez a Boeing dois dias antes, e elevou a meta de fluxo de caixa livre para o ano para cerca de 1 bilhão de euros (1,44 bilhão de dólares), excluindo gastos com aquisições.

A EADS afirmou ainda esperar que o lucro operacional em 2011 antes de eventos não recorrentes fique estável em cerca de 1,3 bilhão de euros. Mas, para 2012, o grupo espera uma "significativa melhora" no lucro antes de juros e impostos e eventos não recorrentes, graças a "maior volume, melhores preços e melhoria na performance do superjumbo A380".

A EADS gera cerca de 70 por cento de suas vendas com a divisão da Airbus, com o restante dividido entre os negócios com helicópteros e áreas espacial e de defesa.

O grupo informou que o lucro antes de juros e impostos (Ebit) subiu 15 por cento, para 371 milhões de euros nos três meses encerrados em 30 de junho, com as vendas avançando 6 por cento, para 12,1 bilhões de euros.

A EADS informou que espera que a Airbus entregue entre 520 e 530 aviões este ano, incluindo 25 A380, ajudando a empresa a superar a receita do ano passado. Nesta semana, a Boeing cortou ligeiramente sua perspectiva de entregas de entre 485 e 500 unidades para entre 485 e 495 aviões.

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASEADSBOEING*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.