EADS tem prejuízo em 2007 acima do esperado

O grupo aeroespacial europeu EADSdivulgou nesta terça-feira um prejuízo maior que o esperadopara 2007 de 446 milhões de euros (685 milhões de dólares), masdivulgou que superou os problemas industriais recentes queatingiram a companhia. O prejuízo se compara ao fraco lucro de 99 milhões de eurosobtido em 2006 e foi pior que a previsão média do mercado deperda de 329 milhões de euros. "Não estou feliz com os números de 2007, mas creio que seusfundamentos permitirão uma melhora em nosso desempenho enquantoavançamos", afirmou o presidente-executivo da empresa LouisGallois. Atingida pelos atrasos na produção do superjumbo AirbusA380 e um dólar fraco, a EADS registrou um lucro operacional de52 milhões de euros, abaixo das estimativas, contra 399 milhõesde euros em 2006. A receita do grupo caiu para 39,1 bilhões de euros, contra39,434 bilhões de euros, principalmente em decorrência de umdólar mais fraco. Os analistas esperavam, em média, lucro operacional de 152milhões de euros sobre uma receita de 39,278 bilhões de euros,segundo pesquisa da Reuters. A EADS afirmou que espera uma recuperação em 2008 e previuum lucro operacional de 1,8 bilhão de euros e receita acima de40 bilhões de euros, com base num euro a 1,45 dólar. De acordocom a pesquisa, a previsão está abaixo do consenso dosanalistas, de ganho de 2,1 bilhões de euros para 2008. Os resultados da empresa para 2007 foram afetados pelosegundo prejuízo anual seguido da Airbus, depois que atrasos deprodução resultaram em penalidades pagas a companhias aéreas ecustos de restruturação. As receitas da Airbus aumentaram ligeiramente de 25,190para 25,216 bilhões de euros, mas a fabricante de aviõesregistrou prejuízo de 881 milhões de euros em 2007, também piorque as estimativas dos analistas. A Airbus espera obter 700 pedidos em 2008, metade dorecorde do ano passado, e entregar cerca de 470 aviões, contra453 em 2007. As ações da EADS caíam 5,7 por cento às 9h25 (horário deBrasília). No mesmo horário, o índice da bolsa de Paris subia0,43 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.