EBX e Orascom farão complexo de fertilizantes de US$3bi

As duas empresas planejam 'um complexo integrado estado-da-arte na área industrial do Porto do Açu, no litoral fluminense    

Alexandre Rodrigues, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 19h30

A EBX, do empresário Eike Batista, informou nesta segunda-feira, 24, que firmou parceria com a o grupo egípcio Orascom Construction Industries (OCI), com a intenção de construir um complexo de produção de fertilizantes no polo industrial do Porto do Açu, no litoral fluminense. Segundo nota da companhia, o conglomerado egípcio é um dos maiores operadores do setor. As duas empresas planejam "um complexo integrado estado-da-arte" para a produção de fertilizantes nitrogenados na área industrial do porto, um dos principais projetos de Eike.

"O complexo de fertilizantes deverá ter até 3 milhões de toneladas por ano de capacidade e produzir um portfólio diversificado de fertilizantes nitrogenados. O investimento total estimado nas fases previstas para esse projeto poderá alcançar US$ 3 bilhões, restando claro que o projeto estará sujeito aos mais elevados padrões ambientais", informou a nota da EBX.

Os dois grupos pretendem formar uma joint-venture, cuja concretização estará suejeita a um processo de due diligence e elaboração da documentação final, bem como todas as aprovações societárias e regulatória aplicáveis, informou a EBX.

O Porto do Açu está sendo construído pela LLX, empresa da área de logística do grupo de Eike Batista que tem atraído indústrias para o entorno do empreendimento para aproveitar vantagens logísticas. No caso da indústria de fertilizantes, as vantagens estariam na proximidade com as áreas de produção de petróleo e a conexão com ferrovias e rodovias para a distribuição dos produtos para áreas agrícolas.

"Prevê-se que o gás natural necessário para o projeto poderá ser fornecido conforme condições e práticas de mercado pelos principais produtores, tais como a OGX, empresa de óleo e gás Grupo EBX", diz a EBX.

Segundo a nota da EBX, Nassef Sawiris, presidente da OCI, declarou que estar satisfeito com a parceria. "Este projeto industrial irá transformar a nossa presença no mercado brasileiro de fertilizantes. A OCI visa a aumentar a sua presença no mercado brasileiro, atualmente apenas como importador, assumindo, por meio desse investimento, um compromisso de longo prazo com a economia brasileira."

Tudo o que sabemos sobre:
ebxfertilizantesOCI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.