EBX planeja vender participação na AUX, segundo fonte

O grupo EBX, de Eike Batista, está em negociações avançadas para a venda da participação de 49% em sua empresa de mineração de ouro, a AUX, ao fundo soberano do Catar, em uma transação que pode chegar a quase US$ 2 bilhões, segundo uma fonte com conhecimento das conversas. Procurada pela Dow Jones, uma porta-voz da EBX disse que o grupo "não comenta rumores de mercado".

SERGIO CALDAS, Agencia Estado

24 de setembro de 2012 | 12h17

A notícia apareceu primeiro na última edição da revista Veja, embora já tivesse havido especulação sobre o assunto há poucos meses.

A AUX foi criada a partir da compra pela EBX, em março de 2011, de uma participação majoritária na mineradora de ouro canadense Ventana Gold, por US$ 1,5 bilhão. A EBX, que já detinha 20% do capital da Ventana, elevou sua fatia na empresa para 91,3%.

A Ventana, com sede em Vancouver, era então uma mineradora com direitos de exploração para 4.591 hectares de propriedades no nordeste da Colômbia. A empresa controla duas áreas, La Bodega e Cal-Vetas, a primeira das quais contém vários trechos com alto teor de ouro, prata e cobre.

A credibilidade da EBX sofreu um golpe este ano após sua petrolífera, a OGX, ter anunciado em junho que a produção de petróleo e gás natural de seus dois primeiros poços será bem menor do que estimava inicialmente.

Muitas das empresas da EBX são pré-operacionais ou estão no início de suas atividades e a notícia da OGX teve impacto sobre as demais empresas do grupo. Além da OGX e da AUX, a EBX controla também a MPX (energia), LLX (logística), MMX (minério de ferro), OSX (construção naval) e CCX (carvão).

A EBX contratou o Itaú BBA, o banco de investimento do Itaú Unibanco, para coordenar a venda da participação da AUX. O Itaú também se recusou a fazer comentários. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EBXAUXvenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.