Economia dos EUA cria 169 mil empregos em agosto

O salário médio subiu US$ 0,05, para US$ 24,05 por hora, e a taxa de desemprego caiu para 7,3%

Sergio Caldas, da Agência Estado,

06 de setembro de 2013 | 09h58

A economia dos EUA criou 169 mil empregos em agosto, segundo informou nesta sexta-feira o Departamento do Trabalho, ficando abaixo da previsão de economistas consultados pela Dow Jones, que esperavam 175 mil novos postos de trabalho.

O salário médio subiu US$ 0,05, para US$ 24,05 por hora em agosto ante julho, e o número médio de horas trabalhadas avançou em 0,1 hora, para 34,5 horas.

O setor privado criou 152 mil vagas em agosto, se responsabilizando quase integralmente pelo resultado positivo do mês passado. O governo, por outro lado, criou 17 mil vagas em agosto. A criação de vagas em agosto foi puxada pelo setor de varejo, que gerou 44 mil postos de trabalho, e o setor de lazer e hospitalidade, com 27 mil vagas.

Enquanto isso, a criação de vagas em julho foi revisada para 104 mil, da leitura inicial de +162 mil. Com a revisão também dos dados de junho, o número de vagas criadas em junho e julho foi reduzido em um total de 74 mil. O novo resultado de julho é o menor em mais de um ano. No acumulado dos últimos doze meses foram criadas, em média, 184 mil vagas de trabalho por mês.  

Taxa de desemprego

A taxa de desemprego nos EUA caiu para 7,3% em agosto, de 7,4% em julho, segundo o relatório mensal de emprego divulgado hoje pelo Departamento do Trabalho. A expectativa dos economistas era de que a taxa permanecesse em 7,4%.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAempregoscriaçãoagosto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.