Economia fraca faz Azul cancelar abertura de capital

Companhia aérea irá aguardar melhora no mercado para realizar o IPO; na semana passada, a Votorantim Cimentos também desistiu da sua oferta inicial

Gabriela Forlin, da Agência Estado,

19 de agosto de 2013 | 17h13

A Azul Linhas Aéreas desistiu de abrir o capital, pelo menos por enquanto. Por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa confirmou que protocolou o pedido de desistência do processo de registro de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) "em razão de condições macroeconômicas desfavoráveis".

A companhia reforçou, no entanto, que mantém a intenção de abrir capital e "continuará acompanhando de perto o mercado para determinar o melhor momento de realizar seu IPO".

Na semana passada, o fundador da Azul Linhas Aéreas, David Neeleman, havia dito que o IPO da companhia neste ano parecia improvável em função das condições do mercado. "Não é uma questão de ''se'', mas de ''quando''", havia dito.

A Azul planejava utilizar os recursos captados com a oferta para comprar novos aviões e acrescentar rotas, mas Neeleman afirmou que a companhia não precisa de dinheiro. Assim, a empresa não tem outros planos de financiamento no momento, porque seriam desnecessários, segundo ele.

A expectativa da empresa era levantar entre US$ 500 milhões e US$ 700 milhões com a oferta, segundo fontes.

Na última segunda-feira, 12, a Votorantim Cimentos também pediu a retirada do registro de oferta pública inicial de units à CVM e à U.S. Securities Exchange Comission (SEC, órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos).

Tudo o que sabemos sobre:
Azul Linhas Aéreas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.