Economista-chefe do FMI defende mais financiamento à Grécia

Para Olivier Blanchard, ajuste macroeconômico e estrutural do país pode levar até uma década

Fernando Dantas, de O Estado de S. Paulo,

26 de maio de 2011 | 13h03

O economista-chefe e diretor do Departamento de Pesquisa do Fundo Monetário Internacional (FMI), Olivier Blanchard, disse à Agência Estado que "o programa grego pode funcionar, mas vai tomar muito tempo, e o financiamento tem de vir". Frisando que o ajuste macroeconômico e estrutural da Grécia pode levar até uma década, ele disse que o país não está muito diferente do que o FMI previu para este momento.

Porém, ao contrário do projetado, parece que a Grécia não conseguirá retornar aos mercados no próximo ano. Por isso, ele defende mais financiamento. Sem citar números, Blanchard diz apenas que "é mais do que os europeus colocaram até agora".

Ele afirmou ainda que uma eventual reestruturação da dívida grega não vai resolver todos os problemas do país, porque ainda faltaria o ajuste macroeconômico e os mercados financeiros continuariam fechados para o país - a Grécia continuaria a precisar de financiamento."As pessoas que acham que a reestruturação é uma bala mágica estão erradas", criticou Blanchard, convidado para o seminário sobre fluxo de capitais, promovido pelo Ministério da Fazenda e FMI, nesta quinta-feira, 26, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.