Edemar Cid Ferreira será despejado de mansão

Ação foi impetrada pela massa falida da Atalanta, que fazia parte do conglomerado do Banco Santos, a qual reclama dívida de R$ 1,7 milhão em aluguéis da mansão

Leandro Modé, de O Estado de S. Paulo,

10 de dezembro de 2010 | 17h07

O ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira será despejado da mansão de 4 mil metros quadrados em que vive no Morumbi, região nobre da capital paulista. A decisão foi tomada nesta sexta-feira, 10, pelo juiz Régis Rodrigues Bonvicino, da 1ª Vara Cível da Justiça Estadual de São Paulo. O despejo deverá ocorrer daqui a 15 dias.

Ex-banqueiro alugava mansão com sua mulher desde junho de 2004 (Foto: Evelson de Freitas/AE - 4/9/2008)

A ação foi impetrada pela massa falida da Atalanta Participações e Propriedades Ltda., uma das empresas que faziam parte do conglomerado do Banco Santos. A Atalanta reclama de uma dívida de R$ 1,7 milhão relativa ao não-pagamento de aluguéis da mansão pela mulher de Edemar, Márcia de Maria Costa Cid Ferreira. A Atalanta alugou o imóvel para o casal a partir de 1º de junho de 2004 e diz que, desde então, nunca recebeu nenhum pagamento (no contrato original, o valor mensal do aluguel era de R$ 20 mil).

Na sentença, o juiz Bonvicino informou que não cabe recurso à ré. "Tal proibição assegura que a casa e seus pertences ingressarão na Massa Falida para satisfazer credores, entretanto, não de imediato (mas em 15 dias)." Procurados, nem Edemar nem seus advogados quiseram se pronunciar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.