Eletricité de France quer o controle da italiana Edison

A estatal de energia francesa Eletricité de France (EDF) mostrou interesse na compra da participação do veículo de investimento Delmi na companhia de energia italiana Edison, em um movimento para obter o controle total da empresa após quase dois anos de divergências sobre estratégia e administração.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

24 de outubro de 2011 | 12h03

A EDF, empresa na qual o governo da França possui 85% de participação, não forneceu maiores detalhes sobre a oferta. Na semana passada, uma pessoa ligada ao mercado em que a empresa atua disse à Dow Jones que a EDF havia rejeitado um pedido da Delmi para ter sua fatia na Edison comprada por 1,55 euro por ação. Ontem o jornal italiano Il Sole 24 Ore afirmou que a EDF estava pronta para oferecer entre 1,15 euro e 1,30 euro por ação.

Uma fatia controladora de 61,3% da Edison pertence à Transalpina di Energia, que, por sua vez, é controlada pela EDF e pela Delmi, cada um com 50% de participação na empresa. Já a Delmi pertence a um grupo de acionistas italianos liderados pela A2A e que inclui a Iren e a própria EDF, que tem 19% de controle da Delmi.

A EDF também propôs à A2A e à Iren a troca de suas respectivas fatias de 20% e 10% na Edipower por 100% do capital acionário da Edens, uma subsidiária da Edison e a quarta maior produtora italiana de eletricidade a partir de fontes renováveis. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaEdisonEletricité

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.